Pular para o conteúdo principal

Entrevista com Tracy Lorraine

acredite no "felizes para sempre"... finalmente.



Tracy Lorraine é uma autora de romances M/F (hétero) e M/M (LGBT). Acabou de chegar aos seus trinta e vive na pequenina vila de Cotswold na Inglaterra com seu marido, filha e um amável, mas louco cão. Sempre foi uma bookaholic presa em seu Kindle. Tracy decidiu tentar escrever uma história que surgiu em um sonho e nunca mais olhou para trás desde lá. Ela é autora das séries Angel e Chasing.







Ficou ansioso(a) para saber mais sobre essa autora independente, não é? Pois bem, hoje trago a vocês um divertido bate-papo que tive com ela recentemente! Bora conferir?


Quando você percebeu que escrever era algo que você queria fazer em sua vida?
Eu estava passando por um momento agitado e ler foi minha escapatória. Eu pensei que seria divertido escrever minha própria história. Eu gostei da ideia de escapar para um outro mundo! Eu acordei certa manhã tendo um sonho e foi isso, Molly nasceu. Eu nunca tive a intenção de deixar ninguém ler aquilo, mas eu fiz e estou agora aqui. Eu ainda tenho que ficar me beliscando toda hora para perceber que agora eu tenho seis livros lançados para as pessoas lerem e se divertirem.

Quais autores você se inspirou para começar essa jornada?
Kristy Bromberg foi a principal, mas também TM Frazier, LA Casey, Samantha Young, Helena Hunting e Christina Lauren são minhas autoras favoritas, mas tenho muitas outras que eu amo.

Você trabalha bastante com livros de romance M/F (hétero), mas recentemente você lançou um livro de romance M/M (LGBT)! Como foi isso para você? Foi um desafio escrever?
Eu amo ler os dois tipos de livros de romance. Eu nunca tive a intenção de apenas escrever romance M/F, essas histórias vêm até mim. Mas uma manhã aqueles dois caras começaram a conversar comigo e depois de quase seis meses depois foi quando dei uma pausa na minha outra série e comecei a escrever essa história.

O que significa para você ser uma autora?
Significa muitas coisas, foi uma mudança inesperada na minha vida, mas eu tive que ler, saber e progredir muito para isso. Significa que eu tenho que ser criativa, não apenas com as palavras, mas com planejamento. Eu posso me perder em vários outros mundos e criar pessoas incríveis. Mas também fez valer a pena as pessoas que conheci e os novos amigos que fiz, e acabei tendo uma forma de ficar em casa com minha menininha e vê-la crescer todos os dias.

Vendo todos os seus livros, suas séries, qual é seu livro favorito? Aquele pelo qual você mais se divertiu ao escrever e ao criar os personagens?
Isso é muito difícil. Eu adorei escrever todos eles. Os personagens têm conversado por tanto tempo na minha cabeça que é legal retirá-los assim... Pois bem, se eu tivesse que escolher um eu acho que eu diria Emma, porém, bem pertinho dela eu colocaria Chasing Logan. Emma foi tão emocionante de escrever, ela é uma mulher muito comum, autoconsciente e tímida, mas ela defende o que ela acha certo para ela, mesmo que, no final, ela esteja errada!

Como autora de romances, você gostaria de escrever outro gênero? Paranormal? Fantasia?
Eu sou realmente uma maluca por romances! Contemporâneo, New Adult, Jovem Adulto, suspense, esporte, comédia.

O que te ajuda na hora que você está escrevendo? O que te inspira para criar uma história?
Geralmente é música, muitas das minhas ideias também aparecem quando estou dirigindo com música ou quando eu ouço algo que chama minha atenção.


Para diversão, vamos fazer um jogo. Eu lhe dou algumas opções ou palavras e você responde com coisas que mais gosta!
Um filme:  Bridget Jones
Um seriado:  Gavin and Stacey
Uma música: Ed Sheran – Shape of you
Cinema ou Netflix?  Netflix
Um livro: Slow Burn de Kristy Bromberg
Um amor: Sapatos
Uma frase: "O tempo é precioso, gaste-o com sabedoria." 
Um ator: Channing Tatum
Uma atriz: Keira Knightley 




Conecte-se com a autora














Paula M. C. Basílio
blogueira e autora
Conheça no:

Comentários