domingo, 19 de fevereiro de 2017

Resenha: A garota do Calendário - Janeiro, Audrey Carlan


 Título: A garota do calendário - Janeiro

Autora: Audrey Carlan

Gênero: Romance Contemporâneo

Páginas: 144

Editora: Verus



sinopse


O que você faria para salvar a vida de seu pai? A vida é feita de escolhas. Mia Saunders fez a dela. Fenômeno editorial nos Estados Unidos com mais de 3 milhões de cópias vendidas.
Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser...
Em janeiro, Mia vai conhecer Wes, um roteirista de Malibu que vai deixá-la em êxtase. Com seus olhos verdes e físico de surfista, Wes promete a ela noites de sexo inesquecível — desde que ela não se apaixone por ele.



resenha

A minha leitura dessa vez foi o fenômeno que todos estão comentando! A Garota do Calendário de Audrey Carlan! Tem entrevista dela aqui no blog! Confira aqui.*

Então eu li o primeiro volume que é Janeiro. Conta a jornada de Mia Saunders em busca de uma boa grana para salvar seu pai que se envolveu em brigas e jogos. Ela tem de pagar uma quantia exata de 1 milhão de dólares para seu ex-namorado, vulgo o cara que acabou com o pai dela.

No fundo, você ao pegar este livro visualiza como algo perverso, ela será uma garota de programa ou algo do tipo. Falsa impressão. Ela é uma acompanhante. Ela é paga para acompanhar um homem de grande status para dispersar as famosas “gansas”, e desta vez, ela vive com Weston Charles Channing Terceiro. Um maravilhoso e sexy loiro, alto, de olhos claros, surfista e roteirista de Hollywood que vive em Malibu. O contato sexual necessariamente não é tudo entre ambos. Não é necessário.

A menos que ambos queiram.

Enfim...

Com sua vida até então em Las Vegas, Mia acaba tomando uma realidade diferente da dela, ela acaba experimentando coisas novas, sua jornada é cheia de surpresas e novos capítulos. Ela nunca imaginou que se apaixonaria nesta jornada em busca do único jeito de salvar seu pai. Salvá-lo, acabaria mostrando muito mais do que a vida luxuosa de um companheiro ou acompanhante, o que quiser nomear.

Wes é intenso, mas ao mesmo tempo ele sente o mesmo por Mia. É um personagem que se fortalece conforme o contato com a nossa personagem principal.

Mia é apaixonante, tem uma personalidade forte e não esconde o que sente, não é como se o que acontecesse fosse um tabu. Ela simplesmente joga a real nas situações, isso mostra que a autora Audrey Carlan, teve um controle muito importante na sua personagem, já que ela quebra todo o ideal daquela garota “perfeita”. Mia tem curvas, e é totalmente segura em questão disso, pois usa a seu favor. É como se aquele modelo ideal de corpo não fosse mais, faz com que a leitora, no caso, se espelhe e se sinta confidente em sua própria jornada também, eu achei muito legal esse ponto. Eu tenho um certo amor por construções diferentes em histórias, seja em enredo ou personagem.

Sério, isso foi totalmente genial.

É claro que Mia não quer simplesmente aceitar a proposta de Wes para quitar a dívida. Ela quer continuar sua própria jornada. Isso mostra para a gente que nada é tão bom quanto vermos nossa própria realização. O nosso trabalho duro para algo. Em sua jornada é fato que nossa garota aprenderá muito mais. É notável que o sucesso da série seja tão estrondoso assim.

Audrey cria uma grande jornada em volta de uma personagem. Sua escrita rápida e fácil, faz com que o leitor queira saber de mês em mês o que acontece. É praticamente uma aventura diária com Mia. A ideia do “diferente” nesse livro é incrível. A introdução da série só é um pouquinho do que ainda está por vir.

Mal posso esperar para Fevereiro! O que será que Alec nos mostrará, hum?



NOTA: 5/5




sobre a autora


Audrey Carlan escreve histórias de amor criadas para proporcionar aos leitores uma experiência sexy e romântica. Além de 'A Garota do Calendário', ela é autora das séries FallingTrinity e Lotus House. Seus livros já figuraram nas listas de mais vendidos de jornais como New York Times, Wall Street Journal e USA Today. Audrey mora na Califórnia com o marido e dois filhos. Quando não está escrevendo, ela gosta de praticar ioga, tomar uma taça de vinho com as amigas e ler romances picantes.









Paula M. C. Basílio
blogueira e autora

Conheça no:






Livro físico - comente abaixo









Entrevista com a autora Katy Evans






O post de hoje traz uma entrevista incrível com a autora best-seller do jornal The New York Times, Katy Evans. Aqui no meu blog a gente conversa um pouquinho de onde surgiu cada uma de suas séries, e alguns detalhes de seu novo projeto em andamento... Vai perder? Confira aqui:



Olá Katy, seja bem-vinda ao meu blog! Você é um sucesso incrível no The New York Times na lista de autores best-sellers! Muitas histórias fazem seus leitores se apaixonar todo o momento! Como você trabalha para criar um novo romance? Há alguns elementos que te inspiram para colocar tudo no papel?

Muito obrigada por me convidar, é um prazer estar aqui. Eu sou inspirada por diferentes coisas e é difícil saber o que aquela “pequena” coisa irá me inspirar no próximo livro. Por exemplo, com Malcolm Saint, eu fui inspirada ao ouvir sobre um incrível bilionário que tem milhões de fãs nas redes sociais, e isso fez com que eu me perguntasse sobre ele – como ele era, se ele era realmente como sua “reputação” – e Manwhore nasceu. Com Real, eu fui inspirada após assistir algumas pessoas lutando por sua saúde e pelo amor de suas vidas. Com Mr. President e Commander in Chief, eu fui inspirada por JFK Jr. Então são coisas diferentes, mas elas sempre proporcionam uma faísca que me ascende e trás meus personagens e suas histórias para a vida!


Sua nova série White House está conquistando muitos leitores. Você pode contar um pouquinho sobre o que ela se trata?

Eu sou tão orgulhosa dessa série. Nasceu pelo meu amor a John F. Kennedy Jr. Quando as eleições dos Estados Unidos começaram, eu me perguntei sobre o que poderia ter acontecido se ele ainda estivesse entre nós e tivesse se candidatado para a presidência. Matt e Charlotte nasceram então, e eu adorei cada minuto em sua jornada! Esses livros me fizeram amar política e me deu esperança mesmo quando, algumas vezes, as reais eleições são cheias de tumultos e divisões.


Quais projetos você tem para 2017? Novas séries? Livros individuais?

Eu estou esperando escrever uma nova série e alguns individuais, e eu ainda quero escrever um livro para Wynn (uma personagem dos livros da série Manwhore) e outro sobre o mundo da minha série White House.


Aqui no Brasil nós temos a série Real. Você tem alguns projetos para outros livros serem traduzidos aqui, bem como suas outras séries?

Eu sou tão abençoada por ter a série Real no Brasil! Eu estou esperando a série Manwhore e a White House ser traduzidas em breve e meus agentes estão trabalhando duro para que isso aconteça! Enquanto isso, eu espero que vocês estejam gostando do Remington Tate.


Você viaja muito para escrever suas histórias? Ou você simplesmente pesquisa sobre lugares e tudo o mais?

Eu viajo, mas às vezes eu apenas relaxo e recarrego minhas energias. Maioria dos meus livros não requer pesquisas, exceto pelos livros da série White House, que eu pesquisei intensivamente através de fotografias em livros, biografias históricas, entre outros.


Qual das séries que você fez, você gostou mais de escrever? E por quê?

Minha série preferida está parecendo ser a qual estou trabalhando atualmente – eu suponho, porque meus personagens estão tão vivos em minha cabeça! Eu não posso revelar muito sobre esse projeto, pois está nos primeiros passos, mas eu prometo atualizar a todos em breve.


Você gostaria de alguma das suas séries se transformassem em filme? Se sim, qual?

Eu adoraria ver a série Real na televisão ou em filme. Eu sinto que a TV poderia capturar todo o entusiasmo, a emoção de se apaixonar e a sensualidade que Remington Tate tem, muito, muito bem...


Para diversão, vamos fazer um jogo. Eu lhe dou algumas opções ou palavras e você responde com coisas que mais gosta!


Um filme: Lendas da Paixão
Uma série: Teen Wolf
Uma música: Iris
Cinema ou Netflix? Netflix
Um livro: Tryst de Elswyth Thane
Um amor: Chocolate preto
Uma frase: “Nunca diga nunca”.
Um ator: Chris Hemsworth
Uma atriz: Meryl Streep



SOBRE A AUTORA


Katy Evans cresceu com livros e namorados fictícios até que ela encontrou um namorado sexy para amar. Eles se casaram e agora estão trabalhando juntos em seu “feliz para sempre”. Katy ama a família e amigos, e ela também ama ler, andar, cozinhar, e ser consumida por seus personagens até alcançar o fim. O que é, esperançosamente, apenas o começo...





REDES SOCIAIS





Paula M. C. Basílio
blogueira e autora

Conheça no:






Livro físico - comente abaixo






segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

John Legend a Halsey, a trilha sonora de Cinquenta Tons Mais Escuros está entre nós!

Olá pessoal! Mais um post mega especial para vocês! Essa semana fiz uma enquete em meu Twitter para saber se valeria a pena fazer uma análise da trilha sonora do novo filme em cartaz nos cinemas, Cinquenta Tons Mais Escuros! E cá estou, mais de 30 votos, é realmente querem...

Não vou analisar faixa por faixa, até porque ainda não assisti ao filme e não quero me equivocar nas minhas afirmações. Então irei pela base das letras, do ritmo e todos os elementos que compõe a favor do livro (resenha aqui*), já que a história não muda.


O álbum lançou na última sexta, 10.
1. I Don’t Wanna Live Forever (Fifty Shades Darker) – ZAYN | Taylor Swift
2. Not Afraid Anymore – Halsey
3. Pray – JRY (feat. Rooty)
4. Lies in the Dark – Tove Lo
5. No Running From Me – Toulouse
6. One Woman Man – John Legend
7. Code Blue – The-Dream
8. Bom Bidi Bom – Nick Jonas & Nicki Minaj
9. Helium – Sia
10. Cruise – Kygo (feat. Andrew Jackson)
11. The Scientist – Corinne Baily Rae
12. They Can’t Take That Away From Me – Jose James
13. Birthday – JP Cooper
14. I Need a Good One – The Avener (feat. Mark Asari)
15. Empty Pack Of Cigarettes – Joseph Angel
16. What Would It Take – Anderson East
17. What Is Love? – Frances
18. On His Knees – Danny Elfman
19. Making It Real – Danny Elfman 

[FAIXAS BÔNUS - TARGET]
20. Kiss Me - Rita Ora
21. I've Got You Under My Skin - José James
22. Livin' Hand to Mouth - Little Charlie & The Nightcats

Republic Records 


Desta vez a trilha sonora do segundo filme trás músicas bem mais românticas, o primeiro trouxe da mesma forma, mas é perceptível que agora a carga seja equilibrada inclusive nas letras! Não há uma música totalmente hot, como por exemplo, a versão de Crazy in Love da Beyoncé e Earned It de The Weeknd. O que ouvimos é um tom diferente.

Dark, romântico e muito profundo. As faixas seguem uma linha calma, talvez a única que destone da sequência é a colaboração de Nick Jonas e Nicki Minaj, “Bom Bidi Bom” com um tom um pouco mais eclético e um pouco de rap, é difícil ver nosso casal Ana e Christian, românticos, embalados a essa música, mas será que são embalados em cena ou só é composta no álbum? ( E um segredo, esta é a faixa que mais gosto no álbum).

Temos o single de Halsey, “Not Afraid Anymore” que segue o lado dark, mas que dá uma pequena quebrada para o lado eclético. E também a música de Kygo com “Cruise”.

O cover de “The Scientist” talvez seja a faixa mais emblemática interpretada por Corinne Bailey Rae. Com um tom semelhante ao do grupo Colplay, obviamente com uma nova roupagem diferente e a presença de violinos ao fundo...

É uma das melhores faixas!

A voz de José James é completamente envolvente! Uau! Assim que ouvi as músicas que carregam sua qualidade vocal, eu logo pensei em ouvir outras músicas dele. Ouçam! Que incrível!

“Birthday” e “I Need a Good One” se enquadram nas músicas ecléticas, mas continuam com um tom sensual, ressalto a faixa de “Birthday”. O que provavelmente já imagino que seja pertencente a cena do aniversário do nosso querido e apaixonante Christian Grey.

Além da faixa de Taylor e Zayn que está bombando! “I Don’t Wanna Live Forever”…

Uma das músicas, com letra, voz e melodia que encaixou mais do que perfeitamente ao casal no filme foi John Legend com "One Woman Man", por favor, leiam essa letra e ouçam. 
Perfeito! Encaixa como luva!!!

Danny Elfman presenteia os fãs da série com mais duas músicas em instrumental ao que parece um remix de “Did That Hurt” pertencente ao primeiro álbum, com “Making It Real”, e se perceber as duas músicas em título se unem...

Boa teoria, hum?
Aquilo lhe machucou?
Fazendo isso real...
Eu totalmente viajei, mas se você leu o livro, leitor querido...
É...
Até que faz muito sentido
*piscadinha*

Mia, ou melhor, Rita Ora traz aos fãs “Kiss Me” com um tom bem suave. Do jeitinho que bom... Só Mia, ah meu Deus! Ou melhor, Rita Ora poderia fazer. <3

As músicas que compõem essa trilha não são músicas agressivas, são músicas calmas, embaladas a um ritmo mais agitado, outras com uma pegada mais mista. O álbum soube diversificar muito bem as faixas, e, concluindo está bem melhor que o primeiro!

E aí, comente aí embaixo, qual faixa você mais gostou!


Nota: 5/5





Paula M. C. Basílio
blogueira e autora

Conheça no:






Livro físico - comente abaixo













domingo, 12 de fevereiro de 2017

Entrevista com o autor nacional, Elicio Santos



Hoje o blog recebe o autor nacional, Elicio Santos. Ele conta um pouco de como começou seu amor pela escrita e o que quer trazer à sociedade com suas obras! Vamos acompanhar:




Elicio, você começou a ter contato com a escrita na sua adolescência, houve algo que lhe motivou a começar?

Sim. Eu comecei a escrever após ler poemas de Carlos Drummond de Andrade, amei o poema José e a estética do movimento concretista.


Você é um grande apaixonado por poesias e contos, quais temas você aborda em suas obras?

Existenciais. Temas sobre o amor e os relacionamentos humanos me atraem, pois são atemporais e universais.


Como foi obter um espaço na terceira colocação do Concurso Literário Academia de Letras de São João da Boa Vista e ser vencedor na categoria contos e destaque nacional em poesia no Concurso Internacional promovido pela ALPAS 21 (Academia de Letras Pesquisa e Artes do Século 21)? Pode nos contar um pouquinho como foi receber esses prêmios?

A recepção de prêmio literários traz um “novo fôlego” ao escritor. Significa que o seu  trabalho árduo e solitário não tem sido inútil. Foi muito bom receber os prêmios referidos, pois me deram forças para continuar escrevendo, embora ainda não me sinta um escritor reconhecido, no sentido mercadológico do termo.


Neste ano você pretende lançar mais de suas obras? Se sim, conte um pouquinho sobre seus novos projetos!

Pretendo concluir um livro que será composto por um conto de cinquenta páginas. Também desejo terminar um romance que comecei a escrever há quase dois anos.


A poesia e os contos nos trazem grandes escritores como referência, você tomou base de algum escritor (a) para lhe guiar nestes gêneros?

Na poesia eu me inspiro em Drummond, Ferreira Gullar, Paulo Leminski. Gosto também de Arnaldo Antunes e Khalil Gibran, um poeta libanês. Nos contos eu me revezo entre Machado de Assis, Clarice Lispector, Dalton Trevisan e o russo Tchekhov.


A obra “O Porquê Das Coisas” traz assuntos diversificados e cotidianos, fazendo com que o leitor se identifique bastante. Você possui alguma técnica em sua escrita para contar os detalhes do dia-a-dia?

Eu mesclo poesia com prosa e elementos filosóficos, mas sempre de um modo que torne a leitura acessível, mesmo às pessoas que não têm elevada instrução.


Por fim, conte um pouco sobre o projeto em que faz parte, o Leia Livros que divulga autores nacionais gratuitamente!

O Leia Livros é um projeto voltado à publicação e divulgação de autores nacionais. Publica gratuitamente os livros dos escritores interessados, tanto no formato e-book quanto impresso. O site é esse: https://goo.gl/1jmlAa
Os interessados devem entrar em contato com Nell Morato: https://goo.gl/kcKtL5
Ela é uma das idealizadoras do projeto.



LIVROS






O Porquê das Coisas Poesia em prosa/Crônicas






Comecei a escrever na adolescência, a princípio somente poesia. Retornei com toda a força à seara literária em 2011. Fiz duas oficinas literárias e hoje sou estudante de Direito (curso o décimo semestre). Remeto colaborações periódicas às revistas Capítulo Um, Litere-se e Avessa. Sou completamente apaixonado pelo poder das letras. Tenho quatro livros publicados. Vozes Poéticas; Contos Urbanos, O Porquê das Coisas (prosa poética) e Revolução Singela (poesia). Integro o projeto Leia livros que publica e divulga autores nacionais gratuitamente.



REDES SOCIAIS

FACEBOOK:




Paula M. C. Basílio
blogueira e autora

Conheça no:






Livro físico - comente abaixo








quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Resenha: Cinquenta Tons Mais Escuros - E. L. James


Título: Cinquenta Tons Mais Escuros
Autora: E. L. James
Gênero: Romance Erótico
Editora: Intrínseca
Páginas: 512
Lançamento: 15 de Setembro de 2012



SINOPSE

Assustada com os segredos obscuros do belo e atormentado Christian Grey, Ana Steele põe um ponto final em seu relacionamento com o jovem empresário e decide se concentrar em sua carreira: ela acaba de conseguir um emprego em uma editora de livros de Seattle.

Mas o desejo por Grey domina cada pensamento de Ana e, quando ele propõe um novo acordo, ela não consegue resistir. Em pouco tempo, ela descobre mais sobre o angustiante passado de seu amargurado e dominador parceiro do que jamais imaginou ser possível.

Enquanto Christian tenta se livrar de seus demônios interiores, Ana, por sua vez, tem que enfrentar algo mais palpável: a ira e a inveja das mulheres que a precederam no coração e na cama de Grey.



RESENHA

Oi pessoal! Hoje eu trago a vocês a resenha do livro que está lançando sua adaptação hoje, 9 de Fevereiro nos cinemas do Brasil inteiro! Espero em breve analisar com vocês o filme em mais um novo post! Aguardem...

Vamos analisar o livro, e se você não conhece muito a história, talvez com este post, você veja que é um romance, enfim.

Minha meta era acabar o livro antes de lançar o filme, e eu consegui fazer isso, para poder trazer as análises pontualmente ao lançamento! Mas agora, chega de papo, vamos ver ponto por ponto?

Cinquenta Tons Mais Escuros de alguma forma tem uma transformação totalmente madura entre os personagens, mas não minto que o pensamento de Ana não continue confuso, pois continua, e isso ainda me irrita. O livro ainda perde por causa disso, mas só alguns décimos.

Durante a leitura é notável algumas doses de emoção e suspense, muito suspense, o que prende o leitor ao enredo de uma forma involuntária! Quando você perceber, já engoliu o livro! É de fato um romance, a redenção de um homem e o sentimento verdadeiro pela mulher de sua vida.

Christian Grey amadurece no livro como anteriormente eu citei, ele é um homem que precisa de autoconfirmação, assim como Ana Steele. Só que juntos eles confirmam um ao outro o que precisam.

Deles mesmos.

É profunda a cena em que Christian se entrega a Ana com um gesto de submissão e amor pela alma, e não apenas fisicamente (no caso, o sexo). É além de tudo a parte mais notável no livro, o coração da história do casal...

Temos sexo, isso é óbvio, mas temos romance, temos amor, não é só um ato jogado na lixeira, como qualquer coisa, porque em minha humilde opinião, Christian fazia sexo para se confirmar como Dominador... A cena muda de foco, a ficção fica mais sentimental, pois muitas coisas são reveladas por ele. Seus segredos obscuros.

Além das partes picantes, temos a presença de novos personagens de uma forma bem aprofundada já citados no primeiro livro*, como Leila, Jack Hyde, Dr. Flynn, Elena Lincoln ou também conhecida como Mrs. Robinson (para os mais íntimos só ‘vaca’ mesmo). #LOL

Todos eles têm uma presença significante na trama, isso é óbvio. Leila é uma ex-submissa de Grey, Jack Hyde é o novo chefe de Ana na Editora SIP, Dr. Flynn é a peça chave para Grey, como um doutor, ele cuida das atitudes, sabe das coisas pelas quais nosso personagem passa. Ele é tudo na trama, de verdade. Elena é uma vaca, mas além de vaca ela é sósia e ex-companheira, submissa, dominante, abusadora de criancinhas. Ela é tudo. Tudo de ruim.
Meu ódio por ela é grande, mas calma, tudo vai ficar bem, você vai sentir o mesmo ao ler.

Dessa vez eu fiz a minha resenha de uma forma diferente, eu não separei em pontos negativos nem positivos, mas eu posso lhe dizer que eu gostei bastante do livro, mais do que o primeiro.

A emoção, a ação, o suspense, o erotismo, tudo encaixou de uma forma que será difícil um livro do mesmo gênero causar tanto impacto. Tem enredo, tudo acontece a toda hora, tudo muda rapidamente de ação, não é um livro que empaca naquilo e fica pelo menos uns cinco capítulos, não, não há nenhuma ponta solta, a menos que alguém volte e mude todo o nosso cenário.

Seja para o bem.

Ou para o mal.

A resenha de Cinquenta Tons de Liberdade será postada (eu espero), em breve.



Nota: 4,5/5,0





                 SOBRE A AUTORA

 E L James é ex-executiva de TV e mora em Londres. Casada e com dois filhos, sempre sonhou em escrever histórias pelas quais os leitores se apaixonassem. Sua estreia na literatura, a trilogia Cinquenta tons de cinza, se tornou o maior fenômeno editorial dos últimos anos.





REDES SOCIAIS








Paula M. C. Basílio
blogueira e autora

Conheça no:






Livro físico - comente abaixo